fbpx
Adesão ao tratamento: como melhorar a terapia do seu paciente

A não adesão ao tratamento é um problema mundial que, provavelmente, você também já enfrentou na sua clínica ou consultório. Esse desafio é comum entre nutricionistas, psicológicos, médicos, fisioterapeutas, educadores físicos e diversos outros profissionais da área da saúde.

Segundos pesquisas, 50% dos pacientes não mantém uma boa adesão aos medicamentos após 6 meses do início de um tratamento. Nesse cenário, esse processo pode até ser considerado saúde pública. Afinal, prescrever um medicamento ou dieta não garante que a pessoa seguirá como a orientação.

Neste conteúdo, você aprenderá um pouco mais sobre o assunto e conhecerá algumas dicas de como melhorar a terapia do seu paciente. Boa leitura!

O que é adesão ao tratamento?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a adesão ao tratamento é um conjunto de ações como a procura de um atendimento médico, a orientação do profissional, os medicamentos, o acompanhamento e até mudanças comportamentais e hábitos de vida do paciente.

Quais são os fatores que interferem na adesão ao tratamento?

Existem diferentes fatores que afetam a adesão ao tratamento. Geralmente, eles criam barreiras que impedem os pacientes busquem atendimento quando necessário, tomem medicamentos e vacinas, mudem comportamentos e realizem ajustes na rotina fim de se alimentar bem e praticar atividades físicas.

Alguns fatores que interferem na adesão ao tratamento são:

  • Efeitos colaterais dos medicamentos indicados;
  • Pessoas que desconhecem ou não entendem as explicações médicas;
  • Falha de comunicação entre médico-paciente;
  • Esquecimento;
  • Resistência pessoal ao uso de medicamentos;
  • Baixa motivação;
  • Problemas socioeconômicos que impedem a compra dos remédios ou o deslocamento até as clínicas de saúde;
  • Crenças negativas sobre a eficácia do tratamento;
  • Ausência de apoio social e familiar;
  • Duração do tratamento.

A OMS aponta que a falta de adesão ao tratamento é um problema não só do paciente, mas também dos profissionais de saúde envolvidos nesse processo.

Como aumentar a adesão ao tratamento?

A adesão ao tratamento é essencial para evitar complicações na vida do paciente. Para melhorá-la, é importante desenvolver um bom relacionamento com o paciente e, principalmente, uma boa comunicação.

Você conversa com seu paciente na clínica para entender quais são os seus hábitos de vida e rotina? Você realmente conhece quem são seus pacientes? Atitudes como essas auxiliam na adesão ao tratamento e trazem benefícios tanto para o paciente quanto para sua clínica.

A seguir, separamos algumas dicas de como aumentar a adesão ao tratamento no seu consultório. Confira!

Identifique barreiras comportamentais à mudança

Conversar com seus pacientes para conhecer cada um deles melhor ajuda a identificar possíveis barreiras comportamentais. A partir disso, o médico é capaz de agir e tratar cada paciente conforme as suas necessidades a fim de proporcionar uma melhor adesão ao tratamento.

médica analisando raio x

Estabeleça um diálogo com o paciente

Criar um diálogo com as pessoas que visitam seu consultório permite estabelecer uma conversa aberta e receptiva com os pacientes. Para isso, é interessante agir com empatia e falar coisas que auxiliem e, principalmente, informem os indivíduos sobre suas condições.

O médico não deve tratar o paciente como um ignorante ou desinformado. Além disso, tenha cuidado para não usar termos complexos e técnicos que dificultem a compressão do paciente sobre a consulta e tratamento. Isso pode gerar uma grande falha de comunicação. Quanto mais simples e direto o profissional for, melhor será o entendimento.

O diálogo também permite que o paciente participe das decisões sobre o seu tratamento. Por isso, converse com ele a fim de entender suas limitações e oferecer orientações que sejam ágeis e fáceis para o paciente.

Vale pensar que descobrir uma doença ou condição de saúde é uma situação delicada para a pessoa. Portanto, quanto mais simples for o processo, melhor será para ela.

Uma dica para melhorar a comunicação com seu paciente, bem como a adesão ao tratamento, é realizar um pós-consulta de forma que ele receba atenção mesmo depois da consulta e se sinta acolhido ao longo do tratamento.

Orientar sobre rotina de medicação

Ao receitar medicamentos para seus pacientes, você se certifica de que ele entendeu todas as orientações? Esse processo é importante para diversos pontos da sua clínica, como a fidelização de pacientes, melhora na autoridade médica e na gestão.

Muitos profissionais de saúde ainda utilizam métodos tradicionais para atender seus pacientes, como prontuários de papel. Um problema muito comum que dificulta o entendimento do tratamento relacionado a isso é caligrafia do profissional.

Por isso, a melhor opção é utilizar um prontuário eletrônico. Essa ferramenta agiliza a rotina de atendimentos, além de ser customizável e aumentar a produtividade da clínica.

Também é possível emitir documentos, solicitar exames e utilizar uma assinatura digital — funcionalidades que geralmente são oferecidas pelo software médico do prontuário.

Dessa forma, você pode descrever todas as condições do paciente no computador ou celular, além de imprimir receitas médicas sem precisar escrever todos os nomes e especificações à mão em um papel. Isso melhora a orientação sobre a rotina de medicação.

Não coloque a perda de peso como objetivo principal

A dieta de um paciente, muitas vezes, é vista como ponto central de tratamentos. Apesar do excesso de peso ser considerado um fator de risco à saúde, é importante não colocar essa questão como foco, de modo que o paciente se sinta pressionado.

Muitas pessoas enfrentam dificuldades em relação ao seu peso. Por isso, esse é um fator delicado e merece um cuidado maior por parte do profissional para obter uma boa adesão ao tratamento.

O mais eficaz é focar em mudanças de comportamento e hábitos de saúde que, consequentemente, fazem com que a pessoa perda peso e tenha uma vida mais saudável.

Seja flexível

A flexibilidade é uma característica essencial para os profissionais de saúde. Isso porque nem sempre o paciente receberá abertamente todos os medicamentos indicados. Nesse momento, é preciso ser flexível e indicar outras formas de tratamento adequadas às necessidades do indivíduo.

Além disso, cada pessoa tem um tempo para processar todas as informações e descobertas em relação à sua saúde.

Agora que você conhece diferentes dicas sobre a adesão ao tratamento, implemente na sua clínica e nos seus atendimentos. Lembre-se que uma das formas mais eficazes para garantir a efetividade de um tratamento é o acompanhamento médico.

Atualmente, temos à disposição diversas ferramentas tecnológicas que auxiliam os médicos nos atendimentos e na gestão da clínica. A telemedicina, por exemplo, foi autorizada pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) e se destaca como uma forma de atendimento mais eficaz e ajuda a observar a evolução de um tratamento.

Gostou deste artigo? Experimente também nosso sistema de gestão para profissionais de saúde!

Tags: |

Sobre o Autor

Carolina Sossai Cardoso
Carolina Sossai Cardoso

Formada em Publicidade e Propaganda | Produtora de conteúdo otimizados (SEO), Copywriter e Redatora.

Em conformidade com Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e GDPR, este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar e personalizar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Para mais detalhes acesse nossa Política de Privacidade.