fbpx
Principais erros de publicidade médica e como evitá-los

Qualquer empresa que tem como objetivo crescer no mercado utiliza uma boa estratégia de marketing e publicidade. Nesse cenário, as clínicas e consultórios não podem ficar para trás. A publicidade médica também pode ser usada pelos profissionais de saúde, trazendo grandes vantagens a sua carreira.

Com isso em mente, é importante que o médico calcule bem seus próximos passos e sempre zele por sua ética profissional. Isso porque um mero post equivocado nas redes sociais pode resultar em danos irreversíveis para sua imagem profissional.

Por esse motivo, explicaremos neste conteúdo o que é ou não permitido no universo médico e do marketing. Boa leitura!

Conheça 7 erros de publicidade médica e saiba como evitá-los

Existem diferentes ações que podem afetar a reputação de um profissional de saúde, prejudicando o marketing da clínica. Nesse cenário, é importante que os principais erros de publicidade médica sejam evitados, principalmente quando a prática vai contra as regras do CFM (Conselho Federal de Medicina).

Veja, a seguir, conheça 7 erros e descubra como não cometê-los!

1. Propaganda enganosa

Um dos maiores pilares da ética profissional em qualquer tipo de publicidade médica é não fazer propaganda enganosa.

Pode parecer óbvio, mas, às vezes, mesmo com as melhores intenções é possível cometer algum deslize que seja considerado uma propaganda enganosa.

Esse ponto é muito importante e precisa ser tratado com seriedade. Por isso, jamais passe informações falsas, crie conteúdos que não possuem comprovação científica ou afirme promessas que não serão cumpridas pelo seu consultório.

O responsável pela publicidade e marketing da clínica deve ficar atento às informações que são divulgadas pelos médicos e conferir se elas condizem com o serviço que é feito e os valores propagados pela empresa.

💡 Clique aqui e confira também a importância da segurança da informação nas clínicas e consultórios!

2. Resultados clínicos

Garantir resultados para os seus pacientes é uma prática que o médico deve evitar a qualquer custo.

Cada caso clínico tem as suas características e métodos de tratamento. Logo, o profissional não pode oferecer um resultado que talvez o paciente não obtenha através do tratamento proposto.

Esse tipo de situação pode gerar processos judiciais, afetando a imagem do médico e da marca, além de gerar muito prejuízo financeiro.

Outra regra importante de publicidade médica relacionada aos resultados são as imagens de antes e depois de procedimentos médicos. É absolutamente proibido divulgar esse tipo de material mesmo que sejam autorizados pelos pacientes.

De acordo com o CFM existem outras maneiras que o médico pode usar para promover seu trabalho.

3. Autopromoção

O profissional da saúde não pode adotar como estratégia de marketing a autopromoção. Isso significa que ele não deve se anunciar como sendo o melhor da sua área, mais competente ou outros adjetivos que indicam superioridade em comparação aos seus colegas. Mesmo que o médico tenha cursos e especialização que considere um diferencial para o mercado.

Além disso, o profissional não deve produzir conteúdos desse com essa mesma intenção. É interessante realizar essa promoção seja feita de outras formas, sem utilizar algo apelativo.

Uma alternativa é incluir pontos que destacam o seu trabalho, como o investimento em tecnologia, excelência em atendimento e entre outros aspectos que chamem a atenção de possíveis pacientes de maneira honesta e direta. Nesse momento, faça essa promoção de forma simples e informativa.

Outra prática que não é bem-vista é a participação de premiações ou concursos que o destacam como “médico do ano”, por exemplo.

4. Valores

Divulgar os valores de procedimentos e consultas também é um caso que vai contra a ética profissional e as regras de publicidade médica.

Esse é um erro recorrente na área da saúde. Geralmente, ele também engloba a divulgação de promoções, formas de pagamento e descontos.

O profissional deve optar por conversar sobre os valores diretamente com o paciente, explicando de forma clara e justa todas as informações sobre pagamento, sem utilizar métodos de divulgação.

5. Especialidade

Como citamos, o médico nunca deve promover especialidades que ele não tem ou pode oferecer. Essa é uma falha muito grave e pode resultar em uma punição conforme as normas do CFM.

Neste caso não existe uma solução. Ele depende totalmente do bom senso e ética do profissional de saúde que divulga o seu trabalho em diferentes meios de comunicação.

Também é importante salientar que o médico não pode promover técnicas que não foram validadas e aprovadas pelo CFM.

É sempre muito importante que o responsável pelas redes sociais, ou outros meios usados para divulgar o serviço da clínica, pense no conteúdo com cuidado para que isso não gere prejuízos no futuro.

6. Consultas por chat ou comentário

Se você é um profissional de saúde que está por dentro das atualizações da medicina e tem um perfil nas redes sociais, provavelmente, já se deparou com seguidores enviando mensagens e se questionando sobre consultas ou tratamento médicos.

Nesse momento, é importante ter cuidado, pois, o médico não pode consultar ou diagnosticar por meio de canais de comunicação de massa, ou a distância. No geral, ele pode fazer comentários gerais sobre doenças e outros temas da área da saúde.

Neste caso, o profissional deve incentivar o seu público a procurar um atendimento especializado.

Atualmente, a medicina também evoluiu trazendo a consulta online para o trabalho dos médicos. Esse método de atendimento é regularizado e está de acordo com as regras do CFM. Basta contar com a ferramenta de Telemedicina correta.

7. Não utilizar a tecnologia ao seu favor

A tecnologia, atualmente, é um recurso indispensável na área da saúde para a realização de publicidade médica e outras estratégias de marketing e gestão. É por meio dela que diversas tarefas são otimizadas em uma clínica, além de auxiliar o trabalho desses profissionais e aumentar a produtividade da equipe.

Um exemplo disso são os softwares médicos. Essa ferramenta conta com funcionalidades como prontuário eletrônico, marketing médico, gestão financeira e agenda.

A partir desse sistema também é possível garantir a segurança de dados do consultório, cumprir as normas estabelecidas pela LGPD e até realizar assinatura de documentos por meio de um certificado digital.

Evitar cometer erros de publicidade médica é uma ação que deve estar na mente desses profissionais. Por isso, a ética profissional deve estar sempre presente nos atendimentos. Sendo assim, mantenha-se sempre informado e conte com recursos que facilitem a divulgação da sua clínica e serviços.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para experimentar gratuitamente nosso software médico e descubra um universo de funcionalidades que podem otimizar seu trabalho!

Tags: | | |

Sobre o Autor

1 Comentário

Deixe um comentário


Solicite uma demonstração.

Preencha o formulário abaixo e um de nossos consultores entrará em contato para apresentar tudo o que podemos fazer pela sua clínica ou consultório.