(35) 3713-2218 / (35) 98866-1902

Bula do Medicamento Amplobid

Amplobid - Bula do remédio

Amplobid com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Amplobid têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Amplobid devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Bergamo

Referência

Eritromicina

Apresentação de Amplobid

Amplobid 250 mg - emb. c/ 10, 12 e 500 compr. Amplobid 500 mg - emb. c/ 8, 10 e 500 compr. Amplobid 125 mg/5 ml ou 250 mg/5ml- emb. c/ 1 e 50 fr. c/ 60 ml

Contra-indicações de Amplobid

O uso de Amplobid é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao antibiótico ou a algum componente da fórmula (a relação risco-benefício deverá ser avaliada em pacientes com disfunção hepática), pacientes com perda da audição e com antecedentes de arritmias cardíacas, que poderão sofrer arritmias recebendo doses elevadas de eritromicina.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Amplobid

Hipersensibilidade (rash cutâneo, enrijecimento e prurido), perda reversível da audição, desmaios e candidíase oral. Transtornos gastrointestinais são as reações adversas mais freqüentes. As náuseas, vômitos e diarréias se apresentam com pouca freqüencia com doses habituais orais. Mal-estar e cólicas podem ocorrer. Em tratamento prolongado pode haver a proliferação excessiva de bactérias e fungos não sensíveis. Nestes casos a droga deve ser suspensa e deve ser estabelecido o tratamento apropriado. Interferência em exames laboratoriais: Determinação de catecolaminas na urina: podem produzir falsas elevações de catecolaminas na urina por interferir na fluorescência no método de Hingerty. Com valores fisiológicos/analíticos: Concentrações séricas de alanina aminotranferase ALT/TGP, fosfatase alcalina, aspartato aminotranferase AST/TGO e bilirrubina: podem aumentar.

Amplobid - Posologia

Doses recomendadas - Comprimidos: Adultos: a dose usual é de 250 mg a cada 6 horas, que pode ser aumentada até 4 g ou mais ao dia, de acordo com a gravidade da infecção. Pediatria: Dose usual é de 15 a 50 mg/kg/dia em doses divididas (a cada 12 horas). Em infecções mais graves, a dose pode ser duplicada. Tanto em adultos como em crianças pode ser administrada a metade da dose diária a cada 12 horas. Em infecções estreptocócicas a dose usual é de 20 a 50 mg/kg/dia em doses divididas. O tratamento de infecções por estreptococos beta-hemolíticos do grupo A deve ser realizado durante 10 dias. Infecções urogenitais durante a gravidez: dose sugerida de 500 mg por via oral, 4 vezes ao dia durante 7 dias, pelo menos; em caso de intolerância a este tratamento, poderão ser indicados 250 mg em 4 vezes ao dia, durante 14 dias. Doses recomendadas - Suspensão: Adultos: A dose usual em adultos é de 250 mg a cada 6 horas, que pode ser aumentada até 4 g ou mais ao dia, de acordo com a gravidade da infecção, ou 500 mg a cada 12 horas se uma dosagem de 2 vezes por dia for desejada. Para a profilaxia de infecções estreptocócicas em pacientes com histórico de doença reumática cardíaca, a dose é de 250 mg duas vezes ao dia. Na profilaxia da endocardite bacteriana em pacientes portadores de doença cardíaca congênita ou reumática ou outra doença cardíaca valvular adquirida ao serem submetidos a tratamento dentário ou intervenção cirúrgica no trato respiratório superior, o esquema terapêutico para adultos é de 1 g (20 mg/kg para crianças) por via oral uma hora antes da cirurgia e 500 mg (10 mg/kg para crianças) a cada 6 horas sendo 8 doses. Coqueluche: A dose recomendada com base em estudos clínicos é de 40 a 50 mg/kg/dia, administrada em doses divididas por 5 a 14 dias. Sífilis primária: Administrar um total de 20 g em doses divididas por 10 dias. Amebíase intestinal: Adultos: 250 mg a cada 6 horas. Crianças: 30 a 50 mg/kg/dia, em doses divididas, por 10 a 14 dias. Doença dos legionários: A dose ótima não foi estabelecida; no entanto nos estudos clínicos a dose recomendada é de 1 a 4 g ao dia em doses divididas. Pediatria: 15 a 25 mg/kg/dia em doses divididas (a cada 12 horas); em infecções mais graves, a dose pode ser duplicada. Na conjuntivite do recém-nascido por C. trachomatis, o tratamento consiste numa suspensão de Amplobid via oral, em doses de 50 mg/kg/dia divididos em 4 ingestões durante pelo menos 2 semanas. Tanto em adultos como em crianças pode ser administrada a metade da dose diária a cada 12 horas. Em infecções estreptocócicas a dose usual é de 5 a 7,5 mg/kg/dia a cada 6 horas, ou 10 a 15 mg/kg/dia a cada 12 horas por no mínimo 10 dias. O tratamento de infecções por estreptococos beta-hemolíticos do grupo A deve ser realizado durante 10 dias. Infecções uretrais não complicadas, infecções endocervicais ou retais em adultos: Se as tetraciclinas não forem indicadas ou não forem bem toleradas, administrar 500 mg de Amplobid a cada 6 horas, por 7 dias no mínimo.

Bulário Eletrônico

Bulário 4medic, contém tudo o que é preciso saber sobre o remédio como indicações, dosagem/posologia, efeitos colaterais, contraindicações, advertências, precauções e armazenamento de forma simples e intuitiva.