(35) 3713-2218 / (35) 98866-1902

Bula do Medicamento Captocord

Captocord - Bula do remédio

Captocord com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Captocord têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Captocord devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Globo

Referência

Captopril

Apresentação de Captocord

Comprimido 12,5mg: Embalagens contendo 16, 30, 150* e 160* comprimidos Comprimido 25 mg: Embalagens contendo 16, 30, 150* e 160* comprimidos Comprimido 50 mg: Embalagens contendo 16, 30, 150* e 160* comprimidos *

Captocord - Indicações

No tratamento da hipertensão arterial sistêmica, associado ou não a diuréticos e no tratamento da hipertensão vascular renal; indicado para o tratamento de insuficiência cardíaca congestiva em associação com diuréticos e digitálicos. O efeito benéfico não requer a presença de digitálicos.
É utilizado após infarto do miocárdio em pacientes clinicamente estáveis com disfunção ventricular esquerda assintomática ou sintomática, para melhorar a sobrevida e para diminuir a incidência de insuficiência cardíaca e infartos recorrentes. O captopril retarda a progressão de nefropatia e outras consequências clínicas associadas em pacientes portadores de Diabetes mellitus (tipo I e II).

Contra-indicações de Captocord

Em casos de pacientes com história prévia de hipersensibilidade ao captopril ou a qualquer outro inibidor da eca, como por exemplo paciente que tenha apresentado angioedema durante a terapia com qualquer outro inibidor da eca; pacientes portadores de estenose aórtica; pacientes que apresentam quadro de hipercalemia, estenose da artéria renal e transplantados renais, devido ao aumento do risco de queda da função renal.

Contraindicado em casos de insuficiência renal não-dialítica, que pode aumentar a concentração plasmática do medicamento, aumentando o risco de hipercalemia, agranulocitose, proteinúria e neutropenia. Contraindicado durante a gravidez e lactação.

Advertências

Deve-se ter atenção médica especial em casos de aparecimento de tumefações faciais ou nas extremidades e/ou dificuldade de respiração devido ao risco de angioedema. Qualquer suspeita de gravidez ou desejo de engravidar deve ser comunicado ao médico. É necessário cautela para proceder atividades que exijam alerta, como dirigir, devido à possibilidade de ocorrer vertigens, especialmente após a dose inicial de captopril em pacientes que fazem uso de diuréticos. Comunicar ao médico a ocorrência contínua de náuseas, vômito ou diarreia devido ao risco de desidratação, que pode resultar em hipotensão. Deve-se ter cautela na realização de exercícios físicos ou exposição a climas quentes devido a possibilidade de desidratação por transpiração excessiva.
Para qualquer tipo de cirurgia durante o tratamento, incluindo cirurgias dentárias, são necessários cuidados. Qualquer sinal de infecção ou febre deve ser relatado devido ao risco de neutropenia.
Não associá-los a outros medicamentos, principalmente simpatomiméticos, a menos que seja prescrito pelo médico.
Na insuficiência cardíaca pode ocorrer queda transitória da pressão sanguínea após as doses iniciais.


Deve-se ter atenção ao aparecimento de hiperpotassemia principalmente em pacientes portadores de Diabetes mellitus, insuficiência renal ou que fazem uso de agentes que aumentam a quantidade sérica de potássio.
O paciente pode apresentar tosse com o uso de inibidores da ECA, caracterizada como persistente e não produtiva. Com a descontinuação do uso, ela desaparece.
Pacientes podem desenvolver fotossensibilidade, o que requer medidas de proteção contra exposição à luz ultravioleta ou à luz do sol, até a tolerância determinada.
Pacientes submetidos à diálise de alto fluxo ou exposição a membranas de aferese lipoproteica devem estar atentos ao risco de reações anafiláticas já relatadas durante a diálise em pacientes que faziam uso concomitante de inibidores da ECA.
Foram relatados dois casos onde pacientes apresentaram reações anafiláticas graves durante um procedimento de dessensibilização com veneno de Hymenoptera. Estes pacientes eram usuários de inibidores da ECA e, quando seu uso foi suspenso, as reações foram interrompidas, porém em uma nova administração as reações voltaram. Faz-se necessário um cuidado especial quando estes pacientes forem submetidos ao referido procedimento.
Se usado durante o período de gravidez, principalmente entre o segundo e terceiro trimestres, pode causar danos ao desenvolvimento do feto ou até mesmo morte. Quando a gravidez for detectada o uso deve ser descontinuado imediatamente.
O captopril aparece no leite materno na quantidade de aproximadamente 1% da concentração sanguínea materna. Entretanto, nunca foi relatado problemas em humanos. Não foram realizados estudos apropriados em crianças relacionando a idade com os efeitos dos inibidores da ECA. Entretanto, seu uso num limitado número de crianças incluindo neonatos têm identificado alguns problemas pediátricos específicos. Existe um risco de oligúria e anomalias neurológicas, possivelmente resultante do declínio do fluxo sanguíneo renal e cerebral provenientes da queda prolongada da pressão sanguínea. Recomenda-se uma dose inicial baixa e um severo monitoramento.

Interações medicamentosas de Captocord

O uso concomitante de bebidas alcoólicas, diuréticos e medicamentos hipotensores pode causar queda brusca da pressão arterial, principalmente nas primeiras 5 (cinco) horas após a dose inicial.
Os antiácidos podem reduzir a absorção dos inibidores da ECA. Se o uso em conjunto for recomendado, as doses devem ser separadas por 2 (duas) horas.
Os anti-inflamatórios não-esteroidais, especialmente a indometacina, podem antagonizar o efeito anti-hipertensivo pela inibição da síntese de prostaglandinas renais.
Ciclosporina, diuréticos poupadores de potássio, alguns hemoderivados, substâncias contendo altas concentrações de potássio, substitutos do sal ou suplementos de potássio podem acarretar hiperpotassemia.


Agentes imunossupressores: o risco de depressão da medula óssea torna-se aumentado em pacientes recebendo tratamento com este tipo de medicamento.
Probenecida: o uso de probenecida diminui a excreção de captopril, podendo aumentar seus níveis circulantes.
Opióides: uma variedade de neuropeptídios, incluindo encefalina, pode atuar como substrato para a ECA, e a inibição da ECA inibe a degradação de encefalinas, levando tanto a analgesia quanto a depressão respiratória. O uso concomitante de lítio pode aumentar a concentração sérica deste, tendo sido relatados casos de intoxicação (é necessária uma intensa monitorização destes pacientes). O uso concomitante de alopurinol e captopril foi associado a neutropenia.
Os estrogênios podem reduzir seus efeitos anti-hipertensivos.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Captocord

Um dos efeitos colaterais mais comumente relatados em estudos é a dor de cabeça. Outros efeitos são: náuseas, eritema cutâneo e tosse. Estes sintomas quando persistentes, merecem atenção médica. Diarreia, cansaço e perda da gustação são sintomas menos frequentes sendo este último, reversível em 2 (dois) ou 3 (três) meses, podendo estar associado à perda de peso. Pode causar disgeusia em 2 a 4% dos pacientes. Foram relatados casos de proteinúria em 1% dos pacientes que utilizavam doses maiores que 150mg de captopril por dia. Neutropenia e agranulocitose também podem ocorrer, assim como, anemia, trombocitopenia e pancitopenia. Pode ocorrer hipotensão principalmente após dose inicial em pacientes hipovolêmicos ou com deficiência de sódio. Taquicardia, dores no peito e palpitações ocorreram em aproximadamente 1 % dos pacientes. Tem sido detectada neutropenia em 3 (três) meses após o início do tratamento da insuficiência cardíaca. Raramente são detectados casos de angioedema (das extremidades, face, lábios e língua, especialmente após dose inicial), dores no pulmão, hiperpotassemia, (batimentos cardíacos irregulares).O uso de inibidores da ECA durante os 2º e 3º trimestres de gravidez tem sido associado a danos ao desenvolvimento fetal e morte.
O captopril pode produzir resultado falso-positivo para teste de acetona na urina. Os níveis séricos de fosfatase alcalina, bilirrubina e transaminases podem ser elevados, como já foi relatado. A creatinina sérica também pode ter seus níveis aumentados temporariamente, as taxas de linfócitos ou neutrófilos podem estar com níveis baixos.

Captocord - Posologia

Na hipertensão, a dose inicial deve ser de 50 mg por dia ou 25 mg, 2 (duas) vezes ao dia. Se após 2 (duas) ou 4 (quatro) semanas não houver redução satisfatória da pressão sanguínea, a dose pode ser aumentada para 100 mg, 1 (uma) vez ao dia ou 50 mg, 2 (duas) vezes ao dia. A restrição de sódio pode ser benéfica quando o captopril for empregado isoladamente. Pode ser empregado um diurético do tipo tiazídico em casos em que após 1(uma) ou 2 (duas) semanas a pressão sanguínea não consegue ser controlada. Iniciando-se com uma pequena dose (por exemplo: 25mg/dia de hidroclorotiazida), que poderá ser aumentada até sua dose usual máxima. Já se o paciente estiver sob terapia de diurético, deverá haver rigoroso controle médico. A dose de captopril no tratamento de hipertensão geralmente não excede a 150mg/dia. Para pacientes com hipertensão grave onde a terapia anti-hipertensiva não pode ser descontinuada, o diurético deverá ser mantido, porém outras medicações anti-hipertensivas concomitantes deverão ser interrompidas.


Na insuficiência cardíaca a dose inicial usual para a maioria dos pacientes é de 25 mg, 2 (duas) a 3 (três) vezes ao dia podendo ser aumentada para 50 mg, 2 (duas) a 3 (três) vezes ao dia. A dose diária máxima é de 450 mg e não deverá ser excedida. Deve-se levar em consideração os pacientes hipovolêmicos ou hiponatrêmicos para os quais as doses devem ser reduzidas (6,25 ou 12,5 mg até 3 (três) vezes ao dia). Geralmente o tratamento está associado a um diurético e a um digitálico; a administração de captopril deve ser rigorosamente acompanhada por um médico.
No tratamento de infarto do miocárdio, deve ser iniciado 3 (três) dias após o episódio de infarto com uma dose inicial de 6,25 mg aumentando para até 37,5 mg por dia, em doses divididas. Conforme a tolerabilidade do paciente, a dose deve ser aumentada para 75 mg em doses divididas até que se atinja uma dosagem final de 150 mg por dia, divididos em até 3 (três) doses.
Em pacientes com nefropatia diabética a dose inicial deve ser de 75 mg por dia em doses divididas em 3 (três) vezes ao dia.
Em neonatos a dose recomendada é de 0,01mg/Kg de peso 2 (duas) a 3 (três) vezes ao dia, a dose pode ser ajustada de acordo com necessidade e a tolerância.
Em crianças a dose é de 0,3 mg / Kg de peso podendo ser aumentada em 0,3 mg/Kg de peso em intervalos de 8 (oito) a 24 (vinte e quatro) horas.
Ajuste de dose para pacientes com insuficiência renal: doses divididas de captopril 75mg a 100 mg/dia são bem toleradas em pacientes com nefropatia diabética e insuficiência renal leve a moderada. Devido ao fato de que o captopril é excretado principalmente pelos rins, a velocidade de excreção é reduzida em pacientes com função renal comprometida. Portanto, estes pacientes poderão responder a doses menores ou menos frequentes. Sendo assim, para pacientes com insuficiência renal significativa, a dose diária inicial de captopril deverá ser reduzida e incrementos menores devem ser utilizados para titulação, que deverá ser bastante lenta (intervalos de 1 (uma) a 2 (duas) semanas).

Superdosagem

A hipotensão é o sintoma mais comum na superdose. O tratamento inclui medidas usuais de suporte, sendo prioritária a correção da hipotensão. A expansão de volume com uma infusão intravenosa de solução salina é o tratamento de escolha para a restauração da pressão sanguínea. O captopril pode ser removido por hemodiálise da circulação do adulto; já para remoção da circulação de crianças ou neonatos, este procedimento é inadequado.



PACIENTES IDOSOS
Alguns pacientes idosos (acima de 60 anos) podem ser mais sensíveis aos efeitos hipotensores dos Inibidores da ECA, portanto deve ser administrado com cautela.

Armazenagem

Conservar em temperatura ambiente entre 15° e 30° C. Proteger da luz e umidade.

Dizeres legais

Registro M.S. nº 1.0465.0414
Farm. Responsável: Dr Marco Aurélio Limirio G. Filho - CRF-GO nº 3524
Nº do lote, data de fabricação e prazo de validade: VIDE CARTUCHO

Data da bula

21/06/2017

Bulário Eletrônico

Bulário 4medic, contém tudo o que é preciso saber sobre o remédio como indicações, dosagem/posologia, efeitos colaterais, contraindicações, advertências, precauções e armazenamento de forma simples e intuitiva.