(35) 3713-2218 / (35) 98866-1902

Bula do Medicamento Dysport

Dysport - Bula do remédio

Dysport com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Dysport têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Dysport devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Ipsen

Dysport - Indicações

Distonia cervical / torcicolo espasmódico;
blefaroespasmo;
espasmo hemifacial;
hiperidrose axilar e palmar em adultos;
linhas faciais hiperfuncionais, incluindo linhas glabelares ou latero-cantais;
espasticidade de membros superiores e/ou inferiores, em pacientes adultos pós-avc;
deformidade em pé equino espástico, em pacientes adultos com espasticidade pós-avc;
deformidade em pé equino dinâmico, em pacientes pediátricos portadores de paralisia cerebral, com
Capacidade de deambulação (e idade superior a dois anos).

Contra-indicações de Dysport

O produto é contraindicado em pacientes que apresentem hipersensibilidade toxina botulúnica ou qualquer outro componente da formulação.

Está contraindicado na gravidez.

Interações medicamentosas de Dysport

O efeito da toxina botulúnica pode ser potencializado por antibióticos aminoglicosdeos ou quaisquer outras drogas que interfiram com a transmissão neuromuscular. Os pacientes que fazem uso dessas drogas devem ser cuidadosamente observados quando utilizarem Dysport (Toxina botulúnica tipo A).

Reações adversas / Efeitos colaterais de Dysport

Reações adversas com o tratamento com Dyspor t (Toxina botulúnica tipo A) es to relacionadas, em geral, com a fraqueza temporria da musculatura adjacente, que pode ser minimizada com uso de doses mínimas nos grupamentos mais envolvidos com a patologia.
a) reações adversas no tratamento de blefarospasmo e espasmo hemifacial
Injeções profundas ou posicionadas incorretamente de Dysport (Toxina botulúnica tipo A) podem paralisar temporariamente grupos musculares próximos.

Superdosagem

Doses excessivas podem produzir paralisia neuromuscular distante e intensa. Suporte respiratório pode ser necessário se doses excessivas provocarem paralisia dos músculos respiratórios. Não existe antídoto específico; não se deve
esperar que a antitoxina seja benfica e cuidados gerais de suporte são recomendados .

Modo de usar

1) Em hiperidrose axilar de moderada a grave, a dose total utilizada por axila de 100-250 U. após a Identificação apropriada das reas hiperidrticas pelo teste iodoamido de Minor, delimita- se 10-25 pontos com distribuição uniforme. após assepsia local, cada sítio de injeção recebe 10 U de Dyspor t (Toxina botulúnica tipo A) subdrmico. A necessidade de repetição das injeções tem prazo varivel, em média 6 meses. Na hiperidrose palmar, a dose total usual utilizada por palma é de 100 a 150 U, distribudas em 10-15 sítios diferentes de injeção subcutânea, sendo 10 U por sítio.

2) Para o tratamento de linhas faciais hiperfuncionais recomenda-se a utilização da eletromiografia para obtenção do máximo efeito terapêutico com as mínimas doses possíveis.

A dose Deverá ser estabelecida pelo médico baseado na fora e cinética muscular do paciente.



A aplicação deve ser feita por via IM no mêsculo as sociado linha hiper funcional, com seringa e agulha de insulina de 30 G . O volume pode var iar de acordo com a reconstituição (diluição) que o médico julgar mais apropriado para cada paciente.

Na regio glabelar recomenda-se uso de 60 a 80 U no total, para os dois lados, distribudas entre os mêsculos prcero e a parte medial do corrugador. Divide-se a dose em 15 a 20 U para o prcero, 10 a 12 U para a parte medial do corrugador e 6 a 9 U para o mêsculo orbicular, logo acima da regio medial do corrugador. As injeções no mêsculo prcero são realizadas na junção entre a borda óssea e uma linha imaginária que passa na altura do incio dos supercélios. As aplicações seguintes ocorrem na junção entre uma linha que passa no canto interno dos olhos e na borda superior do osso orbital; os próximos pontos ficam 1 cm acima destes.
Em homens, cuja musculatura responsável por estas rugas possuem maior massa muscular, pode-se acrescentar mais 1 ponto de aplicação de cada lado situado 1 cm acima da borda do osso orbital e de uma linha vertical que passa na altura das pupilas. importante que seja 1 cm acima do supercélio para evitar ptose palpebral.

Pós de galinha: 30 a 45 U cada lado, distribudas em três pontos de 10 a 15 U ao nível do canto do olho e 1 cm lateral parede lateral da rbita. O outro ponto fica a 1,5 cm inferior a este e ligeiramente medial ao primeiro ponto de aplicação . Pode- se massagear gentil mas firmemente em direção externa, pois isto produz melhor resultado. Pode-se aumentar pontos de aplicação (mais superior), lembrando que o efeito da toxina se estende em média num raio de 1 cm a partir do ponto de aplicação .

Adultos e idosos: No tratamento de blefarospasmo bilateral, a dose inicial recomendada é de 120 Unidades (abreviação = U) por olho. Injeções de 0,1 ml (20 U) devem ser aplicadas medialmente e injeções de 0,2 ml (40 U) devem ser aplicadas lateralmente na junção entre as regiões pré-septal e orbital de ambos os mêsculos orbiculares inferior e superior de cada olho.

Data da bula

23/05/2017

Bulário Eletrônico

Bulário 4medic, contém tudo o que é preciso saber sobre o remédio como indicações, dosagem/posologia, efeitos colaterais, contraindicações, advertências, precauções e armazenamento de forma simples e intuitiva.