(35) 3713-2218 / (35) 98866-1902

Bula do Medicamento Espectrin

Espectrin - Bula do remédio

Espectrin com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Espectrin têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Espectrin devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Gsk

Referência

Sulfametoxazol e Trimetoprima

Apresentação de Espectrin

compr. 400/ 80 mg cx. c/ 20 un. Espectrin D compr.: (800/160) cx. c/ 10 um. Susp. (ped) fr. c/ 50 ou 100 ml (40/8 por ml)

Contra-indicações de Espectrin

Hipersensibilidade à sulfas, à trimetoprima ou à associação de trimetoprima com sulfametoxazol. Exceto no caso de cuidadosa supervisão, Espectrin não deve ser administrado a pacientes com graves alterações hematológicas. Espectrin não deve ser administrado a prematuros ou crianças no período neonatal.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Espectrin

Náusea, com ou sem vômito, e exantema cutâneo, reações de sensibilidade cutânea mais graves, tais como eritema multiforme bolhoso (Síndrome de Stevens-Johnson) e necrólise epidérmica tóxica (Síndrome de Lyell) em pouca freqüência. Fotosensibilidade, leucopenia, neutropenia, trombocitopenia e, menos comumente, agranulocitose, anemia megaloblástica e púrpura, anemia aplástica, anemia hemolítica e metahemoglobinemia. Espectrin pode ocasionar hemólise em certos pacientes suscetíveis com G-6-PD deficiente. Elevação de transaminases séricas e no nível de bilirrubina. Icterícia e necrose hepática, muito raramente, foram relatadas, podendo ser fatais. Meningite asséptica foi reportada na administração associada de trimetoprima/ sulfametoxazol. Caso ocorra sinais de depressão de medula óssea, deve ser dado ao paciente suplemento de folinato de cálcio (5-10mg/dia). Alterações na função renal, incluindo casos de nefrite, foram reportados raramente após administração de trimetoprima/sulfametoxazol. Reações alérgicas incluindo doença plasmática, anafilaxia, micardite alérgica, angioedema e febre raramente foram relatados. Periarterite nodosa e lúpus eritematoso sistêmico também foram documentados. Tosse, redução da respiração e infiltrado pulmonar foram relatados. Diarréia e glossite são incomuns. Anorexia, colite pseudomembranosa, pancreatite, atralgia e mialgia foram relatadas. Crescimento de monília é também raro. Foram descritos casos de convulsões, neurite periférica, ataxia, vertigem, tinitus. Houve alguns relatos de ocorrências subjetivas como cefaléia, depressão, tontura e alucinações, mas suas relações com o tratamento não foram comprovadas. Hipercalemia e hiponatremia foram reportados ocasionalmente em pacientes idosos ou em pacientes tomando altas doses.

Espectrin - Posologia

Pode-se ingerir Espectrin com um pouco de alimento ou líquido para diminuir a possibilidade de distúrbios gastrintestinais. Infecções agudas: Adultos e crianças com mais de 12 anos: A- Dose-padrão: Espectrin 2 comprimidos a cada 12 horas Espectrin D 1 comprimido a cada 12 horas Crianças com 12 anos ou menos: Espectrin Suspensão Pediátrica 6 semanas - 5 meses: 2,5ml a cada 12 horas 6 meses - 5 anos: 5ml a cada 12 horas 6 - 12 anos: 10ml a cada 12 horas Essa dose aproxima-se de 6mg de trimetoprima e 30mg de sulfametoxazol por quilograma de peso corporal por 24 horas. Para infecções graves, em todos os grupos etários, a dose pode ser aumentada em 50%. O tratamento deve continuar até que o paciente esteja livre de sintomas por 2 dias; a maioria necessitará de tratamento por pelo menos 5 dias. Se melhoras clínicas não forem evidentes após 7 dias de terapia, o paciente deve ser reavaliado. Como alternativa à dose padrão para infecções no trato urinário inferior, uma terapia curta de 1 à 3 dias de duração tem sido demonstrada eficaz. B - Doses Especiais: Onde a dose for expressa em comprimidos, refere-se a 80 mg trimetoprima BP e 400 mg sulfametoxazol , ou seja, Espectrin comprimidos. Se outras formulações forem usadas devem ser realizados ajustes apropriados. Função renal comprometida: Adultos e crianças acima de 12 anos (não há informação disponível para crianças com menos de 12 anos). Recomenda-se realizar medições da concentração plasmática do sulfametoxazol a intervalos de 2-3 dias em amostras obtidas 12 horas após administração de Espectrin. Se a concentração do sulfametoxazol total exceder 150mcg/ml, então o tratamento deve ser interrompido até que o valor caia para menos de 120µg/ml. Pneumonite por Pneumocystis carinii: Tratamento: 20mg de trimetoprima e 100mg de sulfametoxazol por kg de peso corporal por dia em duas ou mais doses parceladas, durante 2 semanas. O objetivo é obter níveis séricos plasmáticos máximos de 5µg/ml de trimetoprima. Prevenção: Dose-padrão pela duração do período de risco. Adultos Seguir o seguinte esquema de doses: -160mg de trimetoprima/ 800mg sulfametoxazol diariamente, 7 dias por semana. -160mg de trimetoprima/ 800mg sulfametoxazol 3 vezes por semana em dias alternados. -320mg de trimetoprima/ 160mg sulfametoxazol por dia em duas doses divididas, 3 vezes por semana em dias alternados. Crianças Dose padrão durante a duração do período de risco-dados 7 dias por semana ou 3 dias por semana em dias consecutivos. Esta dosagem aproxima-se de 150mg trimetoprima/ m2/ dia e 750mg sulfametoxazol/ m2/ dia para ser administrada em doses divididas igualmente, duas vezes ao dia. A dose total diária não deve exceder 320mg trimetoprima e 1600mg de sulfametoxazol. Gonorréia: Como alternativa para a dose padrão por 5 a 7 dias, qualquer um dos esquemas abaixo pode ser recomendado para adultos apenas: Em casos não complicados 4 comprimidos a cada 12 horas por dois dias, ou 5 comprimidos seguidos de uma dose adicional de 5 comprimidos 8 horas depois. Caso seja esperada uma baixa adesão do paciente ao tratamento, uma dose única de 8 comprimidos, sob supervisão médica, pode ser administrada. Infecção gonocócica orofaringeana: 2 comprimidos três vezes ao dia, por 7 dias, ou 9 comprimidos diários por 5 dias. Cancro: O tratamento deve ser ininterrupto durante 10-15 dias (dose-padrão). 2 comprimidos duas vezes ao dia se não houver evidência de melhora após 7 dias. Tratamento posterior de 7 dias também deve ser considerado. Entretanto, médicos devem estar alerta que a falha na resposta terapêutica poderá indicar que a doença seja causada por um organismo resistente. Granuloma inguinal: O tratamento deve ser ininterrupto por 2 semanas (dose-padrão). Profilaxia a longo prazo de infecção recorrente ou supressão de infecção crônica após esterilização da urina: Adultos e crianças acima de 12 anos: Um comprimido à noite. Crianças com menos de 12 anos: Dose única noturna de 2mg de trimetoprima e 10mg de sulfametoxazol por quilograma de peso corporal. O tratamento pode continuar por 3 a 12 meses, ou mais, como for adequado. Prostatite crônica: Pode ser aconselhável o uso de uma dose mais alta do que a dose-padrão inicialmente. O curso do tratamento deve prolongar-se por 3 meses para reduzir o risco de recidiva. Linfogranuloma venéreo: O tratamento deve ser ininterrupto durante 10-15 dias (dose-padrão). Brucelose aguda: Pode ser aconselhável a utilização de uma dose mais alta do que a dose-padrão inicialmente. O tratamento deve continuar por um período de pelo menos 4 semanas, e as repetições do mesmo podem ser benéficas. Malária causada por P. falciparum: 4 comprimidos duas vezes ao dia podem ser administrados como regime de dose alternativa para adultos. As crianças necessitam de um esquema de doses apropriadamente reduzido. Tifo e portador de paratifóide: O tratamento deve ser contínuo por pelo menos 1-3 meses (dosepadrão). A trimetoprima não induz seu próprio metabolismo e, por essa razão, não há necessidade de modificação de doses durante o tratamento a longo prazo. PACIENTES IDOSOS Deve-se ter cautela no tratamento de pacientes idosos uma vez que, de maneira geral, são mais suscetíveis à reações adversas e comumente sofrem efeitos sérios como resultado, particularmente quando existirem doenças de base tais como disfunção renal e/ou hepática e/ou uso concomitante com outras drogas. Deve-se tomar especial cuidado no tratamento de pacientes idosos ou com suspeita de deficiência de folato; a suplementação do folato deve ser levada em consideração.

Bulário Eletrônico

Bulário 4medic, contém tudo o que é preciso saber sobre o remédio como indicações, dosagem/posologia, efeitos colaterais, contraindicações, advertências, precauções e armazenamento de forma simples e intuitiva.