(35) 3713-2218 / (35) 98866-1902

Bula do Medicamento Foscavir

Foscavir - Bula do remédio

Foscavir com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Foscavir têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Foscavir devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Astrazeneca

Apresentação de Foscavir

sol. inj. IV 24 mg/ml. emb. c/ 12 fr. c/ 250 ml

Foscavir - Indicações

No tratamento de indução e manutenção de retinite causada por citomegalovírus em pacientes com Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS). No tratamento de indução de infecções mucocutâneas causadas por vírus Herpes simplex que não respondem ao aciclovir em pacientes imunocomprometidos.

Contra-indicações de Foscavir

Hipersensibilidade ao foscarnet.

Advertências

Foscavir deve ser usado com cuidado em pacientes com insuficiência renal. Uma vez que pode ocorrer insuficiência renal a qualquer momento durante a administração de Foscavir, deve-se monitorar a creatinina sérica cada 2 dias na terapia de indução e uma vez por semana durante terapia de manutenção, ajustando-se a dose de acordo com a função renal. Deve-se hidratar adequadamente todos os pacientes (veja Posologia e Modo de Usar). Devido à tendência de quelação com íons metálicos bivalentes, tal como o cálcio, a administração de foscarnet pode estar associada a um acentuado decréscimo de cálcio ionizado sérico, o qual pode não refletir no nível sérico total de cálcio. Os eletrólitos, especialmente cálcio e magnésio, devem ser avaliados antes e durante o tratamento, corrigindo-se as deficiências. Foscarnet tem ação irritante local e, quando excretado em altas concentrações na urina, pode induzir irritação genital ou até mesmo ulcerações. Especial atenção à higiene pessoal é recomendada após micção para diminuir a possibilidade de irritação local. Quando diuréticos são indicados, recomendam-se diuréticos do grupo das tiazidas. Podem ocorrer tonturas e convulsões durante tratamento com Foscavir. Portanto, o médico deve discutir esse assunto com o paciente e, baseado nas condições da doença e na tolerância ao medicamento, deve recomendar precaução em atividades como dirigir veículos ou operar máquinas.

Uso na gravidez de Foscavir

Uma vez que não há experiência clínica nem tampouco dados de investigações disponíveis, Foscavir não deve ser administrado durante a gravidez e lactação.

Interações medicamentosas de Foscavir

Uma vez que foscarnet pode comprometer a função renal, pode ocorrer toxicidade adicional quando usado em combinação com outra droga nefrotóxica como aminoglicosídios e anfotericina B. Foscarnet pode reduzir os níveis séricos de cálcio ionizado, portanto recomenda-se extremo cuidado quando usado concomitantemente com outras drogas que sabidamente influenciam os níveis séricos de cálcio, como pentamidina i.v.. Disfunção renal e hipocalcemia sintomática foram observados durante o tratamento concomitante com pentamidina i.v.. Não existe interação farmacocinética com zidovudina (AZT). Imcompatibilidades: Foscavir não é compatível com solução de glicose a 30%, anfotericina B, aciclovir sódico, ganciclovir, isotionato de pentamidina, trimetoprima-sulfametoxazol, cloridrato de vancomicina e soluções contendo cálcio. Não se recomenda que outras drogas sejam administradas por infusão concomitantemente com Foscavir até que se obtenha maior experiência.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Foscavir

Mais de 11500 pacientes de diferentes populações têm recebido Foscavir, sendo a maioria pacientes seriamente imunocomprometidos e com infecções virais graves. O estado físico do paciente, a gravidade da doença, a presença de outras infecções e tratamentos concomitantes contribuem com os efeitos adversos observados com o uso de Foscavir. Reações associadas à administração de Foscavir incluem insuficiência renal, alterações nas concentrações séricas de eletrólitos e hemoglobina, convulsões e irritação/ulceração genitais locais. Os efeitos adversos discutidos e tabulados abaixo se referem a 188 pacientes aidéticos estudados e incluem eventos relacionados, não relacionados e de relação desconhecida com Foscavir. Os efeitos adversos relatados após a comercialização do produto são similares aos relatados nos estudos clínicos. Insuficiência renal: 27% dos 188 pacientes estudados apresentaram insuficiência renal relatadas como aumento da creatinina sérica (19%), diminuição da depuração plasmática de creatinina (6%), função renal anormal (9%), insuficiência renal grave (2%), uremia (1%), poliúria (2%) e acidose metabólica (1%). O acompanhamento dos pacientes com aumento de creatinina sérica mostrou normalização ou retorno aos níveis anteriores ao tratamento dentro de 1 a 10 semanas após suspensão do tratamento. Eletrólitos: hipocalcemia (14%), hipomagnesemia (15%), hipocalemia (16%), hipofosfatemia (8%) e hiperfosfatemia (6%). Quelatos de foscarnet com íons metálicos (Ca2+, Mg2+, Fe2+, Zn2+) e hipocalcemia aguda , às vezes sintomática, têm sido normalmente observados em cerca de 30% dos pacientes com AIDS sob tratamento com Foscavir. Dados clínicos e experimentais têm demonstrado que foscarnet diminui acentuadamente, e de forma dose-dependente, o cálcio ionizado. A diminuição do cálcio sérico é reversível. é razoável assumir que a velocidade de infusão afeta significativamente a velocidade de diminuição do cálcio ionizado (ver Posologia e Modo de Usar). Convulsões: convulsões, incluindo crises de grande mal foram relatadas em 10% dos pacientes. Baseado nas ocorrências de convulsões em pacientes imunocomprometidos que receberam Foscavir, uma associação entre a hipocalcemia induzida ou ação direta do foscarnet com as convulsões têm sido discutida. Apesar de muitos pacientes que sofreram convulsões terem previamente anormalidades no Sistema Nervoso Central (SNC), como meningite criptocócica, lesões ou outros tumores do SNC, a associação com foscarnet não pode ser excluída. Concentração de Hemoglobina: diminuição na concentração de hemoglobina tem sido observada em 25-33% dos pacientes. Geralmente, não há um padrão consistente de decréscimo simultâneo na contagem de glóbulos brancos e plaquetas. Aproximadamente 30% dos pacientes em estudo estavam em tratamento concomitante com AZT. Muitos pacientes aidéticos já eram anêmicos antes da administração de Foscavir. Irritação local: foram observados tromboflebite em veias periféricas após infusão de solução não diluída de Foscavir (veja Posologia e Modo de Usar) e irritação/ulceração genitais. Uma vez que foscarnet é excretado em altas concentrações na urina, irritação/ulceração locais podem ocorrer especialmente durante terapia de indução quando altas doses são administradas. Outros efeitos adversos: incluem uma série de sintomas que variam de frequência (de 1% à aproximadamente 60%), sendo o mais comum febre. Agrupados por sistemas corporais, os seguintes efeitos adversos relacionados, não relacionados ou de relação desconhecida com o tratamento foram observados: Corpo em geral: astenia (12%), fadiga (20%), mal-estar (7%), calafrio (13%) e septicemia (7%). Transtornos gastrintestinais: náuseas (45%), vômitos (25%), diarréia (32%), dores abdominais (10%), dispepsia (3%), constipação (6%). Casos isolados de pancreatite foram relatados após comercialização. Metabólicos e nutricionais: hiponatremia (4%), edema nas pernas (1%), aumento do HDL (2%) e fosfatase alcalina (3%). Aumento nos níveis de amilase foram relatados após comercialização. Sistema nervoso central e periférico: parestesia (18%), cefaléia (25%), tonturas (12%), contração muscular involuntária (9%), tremor (5%), hipoestesia (7%), ataxia (4%) e neuropatia (6%). Psiquiátricas: anorexia (15%),ansiedade e nervosismo (5%), depressão (10%), confusão mental (7%), psicose (1%), agitação (3%) e agressividade (2%). Glóbulos brancos: leucopenia (9%), granulocitopenia (17%). Nesses pacientes, mais de 90% já tinham algum grau de leucopenia antes do tratamento com Foscavir, sendo em 8% dos casos, casos graves ou até com perigo de vida. Em alguns pacientes, a contagem de glóbulos brancos aumentou durante o tratamento com Foscavir. Não há evidências claras indicando que o foscarnet seja mielossupressor. Plaquetas, distúrbios de hemorragia e coagulação: trombocitopenia (4%). Pele e anexos: erupções cutâneas (16%). Fígado e sistema biliar: funcionamento anormal do fígado (4%), aumento dos níveis de transaminases séricas (alanina aminotransferase e aspartato aminotransferase, 3 e 2% respectivamente) e gama GT (2%). Sistema cardiovascular: eletrocardiograma alterado (1%), hipotensão (2%) e hipertensão (4%). Frequência e ritmo cardíacos: arritmia ventricular foi relatada em 2 pacientes após comercialização. Sistema urinário: poucos casos de diabete insípido, geralmente do tipo nefrogênico. Alterações músculo-esqueléticas: fraqueza muscular.

Foscavir - Posologia

Foscavir deve ser administrado somente por via intravenosa, seja por veia central ou periférica. Quando a via de administração for por veia periférica, a solução de Foscavir 24 mg/ml deve ser diluída imediatamente antes da administração com solução de glicose a 5% ou solução fisiológica para uma concentração de 12mg/ml. Quando por veia central, pode-se administrar Foscavir sem diluição. Adultos: * Terapia de indução de retinite causada por citomegalovírus: Foscavir é administrado por 2-3 semanas dependendo da resposta clínica, na forma de infusão intermitente a cada 8 horas na dosagem de 60 mg/kg em pacientes com função renal normal. A dosagem deve ser individualizada de acordo com a função renal do paciente (ver tabela abaixo). O tempo de infusão não deve ser inferior a 1 hora. * Terapia de indução de infecções mucocutâneas causadas por Herpes simplex não responsivas ao aciclovir: Foscavir deve ser administrado durante 2-3 semanas ou até a cura das lesões, na forma de infusão intermitente na dosagem de 40 mg/kg por uma hora cada 8 horas em pacientes com função renal normal. A dosagem deve ser individualizada de acordo com a função renal do paciente (ver tabela abaixo). O tempo de infusão não deve ser inferior a 1 hora. * Tratamento de manutenção (retinite por citomegalovírus): Foscavir deve ser administrado diariamente, pelo tempo que se considerar apropriado. Em pacientes com função renal normal, a dose varia de 90 a 120 mg/kg administrado por infusão diária de 2 horas. A dosagem deve ser individualizada de acordo com a função renal do paciente (ver tabela abaixo). Recomenda-se iniciar a terapia com 90 mg/kg. Aumento de doses até a dose de 120 mg/Kg pode ser considerado em pacientes nos quais a retinite se desenvolva durante tratamento com doses baixas e em pacientes que demonstrem boa tolerância à menor dose. Pacientes que demonstrem desenvolvimento da retinite durante o tratamento de manutenção podem ser re-submetidos ao regime de indução. A eficácia da terapia de manutenção para infecções causadas pelo Herpes simplex que não respondem ao aciclovir não foi estabelecida. Cuidado: Não administre rapidamente Foscavir por via intravenosa. Tabela Dosagem de Foscavir Tratamento de indução Depuração plasmática Retinite por citomegalovírus Vírus Herpes simplex de Creatinina Cada 8 horas Cada 8 horas (ml/kg/min) (mg/kg) (mg/kg) >1,6 60 40 1,6 - 1,4 55 37 1,4 - 1,2 49 33 1,2 - 1,0 42 28 1,0 - 0,8 35 24 0,8 - 0,6 28 19 0,6 - 0,4 21 14 1,4 90 - 120 1,4 - 1,2 78 - 104 1,2 - 1,0 75 - 100 1,0 - 0,8 71 - 94 0,8 - 0,6 63 - 84 0,6 - 0,4 57 - 76 Foscavir em crianças é limitada. Foscavir não está recomendado em pacientes submetidos à hemodiálise, uma vez que a posologia não foi estabelecida.

Superdosagem

Foram observados 33 casos de superdosagem, sendo a maior dose aproximadamente 10 vezes a dose recomendada: 28 pacientes apresentaram reações adversas e 5 não tiveram qualquer reação prejudicial decorrente da superdosagem. Quatro pacientes morreram com os seguintes quadros: um de parada cardiorespiratória (3 dias após a interrupção do tratamento), outro com AIDS progressiva e insuficiência renal (aproximadamente 2 meses após a última dose de Foscavir), um paciente em fase terminal da AIDS com bacteremia (2 semanas após a superdosagem) e outro com insuficiência múltipla (11 dias após o uso de Foscavir). O padrão das reações adversas relatadas nos casos de superdosagem correspondem aos sintomas previamente observados durante o tratamento com Foscavir. A hemodiálise aumenta a eliminação de foscarnet e pode ser benéfica em casos de superdosagem grave.

Foscavir - Informações

Foscavir (foscarnet) é um agente antiviral de amplo espectro inibindo todas as viroses humanas conhecidas do grupo do herpes, vírus Herpes simplex tipo 1 e 2, vírus Herpes humano 6, vírus varicela zoster, vírus Epstein-Barr e citomegalovírus (CMV) e alguns retrovírus, incluindo vírus da imunodeficiência humana (HIV) em concentrações que não afetam o crescimento celular normal. Foscarnet também inibe a DNA polimerase viral do vírus da hepatite B. Foscarnet exerce sua ação antiviral por inibição direta específica da DNA polimerase viral e transcriptase reversa em concentrações que não afetam a DNA polimerase celular. Linhagens de CMV resistentes ao ganciclovir podem ser sensíveis ao foscarnet. Foscarnet é eliminado pelos rins principalmente através de filtração glomerular. A depuração plasmática após administração intravenosa no homem varia entre 130-160ml/min e a depuração renal é ao redor de 130 ml/min. A meia vida é de 2-4 horas em pacientes com função renal normal.

Bulário Eletrônico

Bulário 4medic, contém tudo o que é preciso saber sobre o remédio como indicações, dosagem/posologia, efeitos colaterais, contraindicações, advertências, precauções e armazenamento de forma simples e intuitiva.