(35) 3713-2218 / (35) 98866-1902

Bula do Medicamento Varikromo

Varikromo - Bula do remédio

Varikromo com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Varikromo têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Varikromo devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Geyer

Apresentação de Varikromo

cx. c/ 6 de 5 ml.

Varikromo - Indicações

Varikromo é um fleboesclerosante indicado no tratamento das pequenas vênulas varicosas (micro-varizes e telangectasias venosas). Devido à remota possibilidade de reações alérgicas importantes, Varikromo é um esclerosante que permite sua utilização em outras áreas do corpo, tais como: telangectasias da face, vênulas do busto, do abdômen, das costas e dos membros torácicos inclusive o dorso das mãos, com resultados iguais àqueles obtidos nos membros pélvicos. Também, está indicado na esclerose dos hemangiomas superficiais simples, dos nevus vasculares e dos hemangiomas cavernosos iniciais ou puntiformes onde são, às vezes, necessárias várias sessões até a obtenção do efeito desejado. Varikromo só deve ser aplicado por médicos especialistas que tenham conhecimento da técnica a ser executada.

Contra-indicações de Varikromo

De ordem geral: estados febris, infecções agudas, neoplasias, pacientes acamados por qualquer motivo, tromboflebite aguda ou recente com edema do membro, discrasias sangüíneas, diabetes na vigência de microangiopatia, tireotoxicose, pacientes edemaciados, insuficiência hepática ou renal grave. Nas gestantes, não está indicado após o segundo mês devido aos fatores hormonais e físicos que favorecem a êxtase venosa. Durante a amamentação, deve-se iniciar o tratamento após o terceiro mês, a fim de evitar intercorrências com o aleitamento. De ordem local: moléstias agudas ou crônicas da pele próximo da área que se pretende esclerosar, edema generalizado do membro ou localizado na zona em que se deseja injetar.

Advertências

Nunca aplicar Varikromo por injeção intra-arterial. Aconselha-se ao paciente, no dia da aplicação, a não fazer exercícios nem expor-se ao sol.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Varikromo

Em raros casos, pode ocorrer dias após a aplicação, principalmente relacionado à exposição solar, o aparecimento de micro-pápulas que desaparecem completamente com o uso local de betametasona. Quando a esclerose é realizada próxima a região pré-tibial, pode ocorrer dor mais intensa relacionada com a drenagem local e que desaparece completamente com o exercício tipo pedalar deitado. A pigmentação e a necrose cutânea são extremamente raras com as doses recomendadas e uma injeção extravascular mínima acarreta apenas uma pequena equimose temporária sem qualquer dano cutâneo. A hematúria acompanhada por cólica ureteral pode ocorrer transitoriamente após a injeção de altas doses. Reconhecidamente, a incidência de reações adversas com Varikromo é rara.

Varikromo - Posologia

De modo geral, a dose e a técnica a ser aplicada ficam rigorosamente à critério do angiologista. Porém, é aconselhável não exceder a dose total de 5 mL de Varikromo por semana de tratamento esclerosante, sendo melhor a injeção de até 2 mL em duas sessões semanais com intervalo de dois dias entre elas. Como Varikromo é especialmente indicado para as micro-varizes superficiais, recomenda-se usar, de preferência, seringa de até 3 mL e agulha com bisel curto e o mais fina possível. As injeções podem ser aplicadas tanto com o paciente em pé como deitado, sendo contraindicado o uso de garrote. Na primeira sessão do tratamento esclerosante, injetar aproximadamente 0,2 mL intravenoso a fim de testar a tolerância individual ou a presença de reações alérgicas. É recomendado o uso de compressão elástica após cada sessão por um período mínimo de 3 horas. Em outras regiões, que não os membros pélvicos, é indicado o uso de proteção do local da punção com esparadrapo. Após 10 a 15 minutos de repouso, com os membros na posição horizontal, o paciente deve caminhar. Na presença de hematomas no dia seguinte ao da aplicação, é aconselhável o uso de cremes ou géis heparinóides a fim de abreviar sua absorção. O Varikromo usado com boa técnica, é praticamente indolor mesmo quando houver extravasamento. Não deixa pigmentação, não é tóxico e é fácil de ser injetado, fluindo suavemente pela seringa.

Varikromo - Informações

Varikromo reúne em sua formulação a glicerina (glicerol) que apresenta propriedades esclerosantes e o alúmen de cromo (sulfato de cromo e potássio) um potente agente coagulante que intensifica a ação esclerosante da glicerina. Usado intravenosamente produz sem necrosar, tromboflebite química irreversível, transformando a vênula em cordão fibroso e duro que é absorvido pelo organismo. Usado no subcutâneo, perivasal, age por absorção causando o mesmo efeito da aplicação intravenosa. A suave ação esclerosante que apresenta, aliada a baixa incidência de efeitos colaterais, torna Varikromo um fleboesclerosante versátil com elevado grau de segurança.

Bulário Eletrônico

Bulário 4medic, contém tudo o que é preciso saber sobre o remédio como indicações, dosagem/posologia, efeitos colaterais, contraindicações, advertências, precauções e armazenamento de forma simples e intuitiva.